Calças

Calça com gorgorão

Calça com gorgorão
Calça com gorgorão - detalhe
Calça com gorgorão - detalhe

O gorgorão é um galão muito usado quer na indústria de vestuário e acessórios quer na decoração e mobiliário. Esta fita, mais ou menos grossa e maleável, presta-se ao adorno ou acabamento tanto de vestidos, blusas, calças como de colchas e cortinados ou estofos de cadeiras. O seu uso é muito versátil e o efeito sempre bonito. O gorgorão é um tecido espesso e opaco, obtido a partir da seda, algodão ou lã, e cuja textura apresenta alternadamente sulcos e riscas salientes. Em português, a palavra “gorgorão” deriva do francês “gros-grain” (grão grosso / tecido grosseiro). Nesta proposta, conciliámos gorgorão com fita de organza.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 calça de estampado florido

2 m de gorgorão com 1,5 cm de largura

1 m de gorgorão com 2,5 cm de largura

2 m de organza com 1,5 cm de largura

Execução:

1. Prenda com alfinetes, à altura de 10 cm da bainha das calças, a primeira fita de gorgorão. Cosa à máquina nos limites superior e inferior.

2. Vá dispondo, a uma distância equidistante, as restantes fitas e proceda do mesmo modo para coser.


Sarouel

Sarouel corpo inteiro
Sarouel - frente
Sarouel - trás

Saruel ou Sarouel são calças com origem na antiga Pérsia, tendo-se difundido pelo norte de África. Hoje, é muito fácil adquiri-las, por exemplo, em Marrocos. Caracterizam-se por ter um gancho largo e baixo, que desce até aos joelhos. Este corte amplo torna a peça de vestuário mais fresca. Também lhe aumenta o conforto, pois permite maior liberdade de movimentos, razão pela qual é muito apreciada no ginásio ou na praia. A palavra saruel provém do vocábulo francês sarouel, tomado ao étimo árabe “sirwal”, que significa calças.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 túnica em tecido fluido ou licra

Execução:

1. Para cortar o Saruel, recorra a moldes de uma revista especializada, por exemplo o da Burda 07/2009.

2. Comece por unir as duas partes da frente, cosendo a costura intermédia no Overlock. Adote o mesmo procedimento para as partes de trás.

3.Prenda com alfinetes os laterais e cosa também no Overlock. Proceda da mesma maneira com o gancho.

4. Na máquina de costura una as duas vistas. Cosa ao cós (direito com direito), volte para o avesso e cosa novamente a 4 cm de distância da cintura. Deixe uma pequena abertura para enfiar o elástico.

5. Por fim, orle a bainha e cosa-a também à máquina.


Calças: tropical

Calças de motivo tropical
Calças de motivo tropical - detalhe
Calças de motivo tropical - detalhe

Seda: tecido natural, leve, macio e brilhante, obtido a partir do fio segregado pela lagarta da amoreira, conhecida como bicho-da-seda. A China descobriu-a há milhares de anos e manteve o seu fabrico em sigilo, durante séculos. A seda era tão preciosa que, na idade média, constituiu um dos negócios mais lucrativos entre o Oriente e a Europa, denominado “rota da seda”. Hoje é possível adquirir tecidos sintéticos muito acessíveis e com um aspeto semelhante à seda. É o caso das calças que aqui apresentamos.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 macacão

1 tira de 4 cm de entretela

Execução:

1. Trave o fecho 4 cm acima da cintura e corte-o.

2. Para o cós, corte o top a 8 cm da cintura, cole a entretela com o ferro e vinque 1 cm de valor de costura para dentro.

3. Una os laterais do cós pelo avesso. Vire-o e alinhave por dentro, de forma a que o limite se sobreponha à costura da cintura. Cosa pelo lado direito, sobre a costura da cintura.

4. Para o cinto, aproveite as alças, unindo-as. Aproveite também as fitinhas de pendurar para criar as presilhas.


Calças de cós elástico

Calças de cós elástico em toilette
Detalhe de cós
Calças em corpo inteiro

Muitas pessoas desconhecem o nome Madeleine Vionnet. E foi graças a ela que a silhueta feminina ganhou em elegância. Quem foi, então, Madeleine Vionnet? De nacionalidade francesa, veio a falecer em 1975, aos 98 anos. A longa carreira profissional colocou-a entre os maiores estilistas de alta-costura. A sua criação mais conhecida foi o corte em viés, técnica que permite dar ao vestuário uma elasticidade e uma fluidez apreciáveis, moldando-o ao corpo e evidenciando-lhe a sensualidade. Os vestidos que concebeu são verdadeiras obras de arte! Na proposta de hoje, apostamos também na elegância feminina, dando ênfase à definição da cintura, mas por recurso a um velho cinto elástico e a umas calças também usadas.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 cinto masculino elástico

1 par de calças sem cós

Execução

1. Rejeite as extremidades e a fivela do cinto. Corte o elástico à medida da cintura.

2. Una as duas pontas do cinto, cosa-as e orle.

3. Marque, com alfinetes ou giz, 4 pontos equidistantes tanto no círculo das calças como no do elástico. Junte as duas peças, sobrepondo as marcas, e prendendo com alfinetes.

4. Cosa o elástico às calças, esticando-o proporcionalmente entre as marcas.


Calças: inspiração desportiva

Detalhe

Corpo inteiro

As palavras contam histórias. E quantas vezes nos surpreendemos com a descoberta dos seus significados ocultos! Há uns tempos, li que a marca Adidas, vocábulo formado a partir da junção dos dois nomes truncados do seu fundador, também poderia ter derivado das iniciais da frase All Day I Dream About Sports, das quais teria resultado o famoso acrónimo. Gostei desta explicação, mais do que da oficial. Penso frequentemente que devia manter uma rotina desportiva… Consola-me a hipótese de que a disciplina física seja difícil até para os atletas profissionais! Nestas calças se concretiza esse impasse, porque o detalhe lateral evoca o projeto, mas o tecido convida a outros espaços.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 par de calças (cetim ou sablé)

2,20 cm de galão tricolor (algodão ou poliéster)

Execução:

1. Cortar a fita tricolor em duas partes iguais e alinhá-las sobre as costuras laterais.

2. Prendê-las com alfinetes, tendo o cuidado de deixar livres 2 cm no topo das calças e 4 cm na base.

3. Coser à máquina, em ambas extremidades, sempre no sentido de cima para baixo, para que o galão não engelhe.

4. No topo, descoser um bocadinho do cós e enfiar a ponta do galão. Fechar, cosendo à mão.

5. Na base, voltar a sobra do galão para dentro, sobrepondo-o à bainha, e coser à máquina pelo lado direito das calças.


Macacão: sabor a mar

Macação corpo inteiro

Macacão a corpo inteiro - trás

Detalhe

É Coco Chanel quem, no início de carreira, funda o style marin, inspirada pelos uniformes dos marinheiros. A sua marinière, em jersey, permitiu às mulheres o uso de um vestuário barato, simples e confortável, libertando-as dos incómodos espartilhos. Desde então, muitos foram os estilistas que lhe seguiram os passos, concebendo roupa simultaneamente chique e descontraída, alusiva a motivos náuticos. O macacão navy que propomos, enquanto traje inteiriço, sublinha ainda esse aspeto prático.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 par de calças (mistura de algodão e linho)

50 cm de tecido de linho ou algodão

80 cm de elástico com 3 cm de largura

80 cm de elástico com 1 cm de largura

4 botões

Execução:

1. Desmanchar o topo das calças, abrir as pinças, retirar a braguilha e as presilhas.

2. Cortar as duas partes do tecido de acréscimo. Para a altura, medir da cintura à cava e descontar o tecido sobrante das calças. Para a largura, usar a medida da frente e de trás das calças.

3. Unir os panos às calças e orlar. Coser depois os laterais, controlando a coincidência da costura da cintura, e orlar também.

4. Aproveitar o cinto das calças para cortar tiras com 5 cm de largura.

5. Coser uma das tiras ao topo do macacão, deixando uma pequena abertura. Enfiar o elástico com a ajuda de um alfinete grande. Unir o elástico, cosendo-o, e fechar à máquina a abertura da tira.

6. No interior da cintura e no elástico, marcar com giz 4 pontos equidistantes. Juntar as duas peças, sobrepondo as marcas, e prender com alfinetes. Coser o elástico ao macacão, esticando-o proporcionalmente entre as marcas.

7. Para as alças, unir uma tira às riscas com outra de tecido branco, direito com direito. Virá-las, cortá-las à medida dos ombros, orlá-las nas extremidades e cosê-las ao macacão, aproveitando as linhas de costura da faixa ornamental do peito.

8. Para o cinto, unir horizontalmente uma faixa de tecido branco com 15 cm de largura. Virá-la, cortar as extremidades na diagonal e fechá-las à mão.

9. Coser as presilhas nos sítios originais e pregar os botões à frente.


Calções: fita grega

Calções fita grega corpo inteiro
Detalhe calção

Detalhe de fita

“Fita grega”: ingleses, franceses e espanhóis destacam-lhe as ondas, portugueses associam-na à civilização helénica. Séculos depois, continuamos a admirar o vestuário grego antigo – vaporoso, drapeado, elegante. Porém simples, consistindo na sobreposição de panos de lã ou de linho. As túnicas, o péplos e o khitón, eram constituídas por retângulos de tecido, presos nos ombros e de lado com pregadeiras (fibula). As mais caras eram tingidas e adornadas com galões. Nesta proposta, alia-se simplicidade, mar e imaginário grego.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 par de calças (poliéster ou algodão)

2 m de fita grega de dois tons + 1 m de fita grega de outro tom

Execução:

1. Prender com alfinetes o topo, a base e os laterias das calças.

2. Marcar a altura desejada, medindo a partir da base, e cortar.

3. Abrir parte da costura interior de cada perna dos calções.

4. Tracejar, em cada perna, linhas horizontais equidistantes de 2 cm.

5. Coser à máquina, vigiando a passagem da costura exatamente no meio da fita e a correta sobreposição desta no tracejado.

5. Fechar as costuras interiores dos calções e orlá-las.

6. Orlar a bainha, voltá-la 2,5 cm para dentro e cosê-la à máquina.

 


Calças: Galão

Calça corpo inteiro
Detalhe cintura
Detalhe galões

Calças… existem para todos os gostos. Considerem-se, por exemplo, as diversas opções segundo o comprimento e o corte. Podemos escolher o short, a bermuda ou a baggy. Mas ainda as knicker, corsário, capri e cigarrete. E a lista continua: cargo, legging, clochard, boca de sino, pantalona, saint-tropez, pescador, sarouel, bermuda, macacão ou, claro, as calças jardineira. A casa Chanel apresentou recentemente a coleção Métiers d’Art 2018-2019, no MET, em Nova Iorque. Inspirando-se na antiguidade egípcia, apostou nos dourados e integrou modelos muito originais de calças. Verdadeiramente inspirador! Também aqui se propõe umas calças curtas, adornadas por um galão dourado.

Fica a ideia. Espero que agrade e experimentem nas vossas roupas.

Materiais:

1 macacão

50 cm de galão dourado largo

Execução:

1. Destaque as calças do macacão, cortando o cós com uma margem de costura de 4 cm. Faça um vira-vira, alinhave e cosa.

2. Corte as calças pela altura desejada. Prenda o galão à bainha das calças com alfinetes, de forma a que o valor de costura fique no interior do galão. Cosa em baixo.

3. Corte o excesso dos laterais de cada galão e una-os. Vire o galão, avesso sobre o direito das calças, e cosa o limite superior.